“Voltamos a ter um cartaz de excelência, que abraça o religioso e o profano, desdobrando-os em imensas atividades etnográficas, culturais, sociais e recreativas, tendo como motivação principal fazer a simbiose entre a tradição, a diversão, o convívio e a fraternidade”. Foi assim que o Presidente da Câmara caracterizou o programa da Festa das Cruzes, no decorrer da cerimónia de apresentação da edição das festividades de 2024.
Ladeado pela Vereadora da Cultura, Elisa Braga, do Provedor da Real Irmandade, Pedro Ferreira, do Pároco Manuel da Rocha, da Paróquia de Santa Maria Maior de Barcelos, e de Jorge Cruz, Presidente da EMEC, Mário Constantino Lopes sublinhou que a Festa das Cruzes visa “proporcionar uma festividade que orgulhe Barcelos e os barcelenses e, simultaneamente, exalte as nossas tradições, a nossa cultura e a nossa hospitalidade,  conjugando tudo isso com um programa abrangente, diversificado, e capaz de mobilizar centenas de milhares de pessoas rumo à nossa Cidade. No ano passado, a programação da nossa maior Festa atingiu um tal patamar de excelência que agora nos acarreta a responsabilidade de não baixar essa fasquia”, disse o autarca no decorrer da conferência de imprensa que culminou com a exibição de um vídeo de apresentação do cartaz de espetáculos e concertos deste ano.
Entretanto, a mais de um mês da realização da Festa, já estão a ser colocados os Arcos de Romaria, junto ao Campo da Feira, vindos das 61 freguesias do concelho.
 
Concertos de Xutos e Pontapés, Ana Moura, Fernando Daniel e Quatro e Meia e seis sessões de fogo de artifício prometem noites memoráveis
A Festa das Cruzes volta a ter um cartaz de excelência. Xutos e Pontapés, Ana Moura, Fernando Daniel e Quatro e Meia prometem quatro noites memoráveis em concertos que vão certamente encher a Frente Ribeirinha. Além destes quatro grandes concertos, está prevista muita mais animação. O programa inclui Bandas no Coreto, Aqui Portugal da RTP, Concerto de Bandas Filarmónicas, Barcelos no Caminho de Santiago com atividades associadas, Festival Luso-Galaico, Desfile Etnográfico pelos Grupos Folclóricos de Barcelos e concerto de encerramento na Avenida da Liberdade.
Grande destaque também para os típicos arraiais minhotos e as respetivas sessões de fogo de artifício. São seis grandes sessões de pirotecnia que incluem: Fogo de Romaria; Fogo Piromusical; Fogo de Santiago; Fogo das Cruzes; Fogo da Ponte e, no encerramento da Festa, Fogo Preso Tradicional.
 
Missa Solene, Procissão da Invenção da Santa Cruz, Tapetes de Pétalas Naturais
Sob o lema: um abraço entre o religioso e profano, o programa deste ano abarca seis dias, numa Festa que só consegue ter a dignidade, a genuinidade, a identidade e a grandeza que tem, porque envolve 89 paróquias, dezenas de ranchos folclóricos, e outras tantas coletividades, bem como o comércio e restauração locais e toda a população barcelense.
No plano religioso, a Grandiosa Procissão da Invenção da Santa Cruz no dia 3 de maio, feriado municipal, é a grande manifestação de culto das festividades. Uma vez mais, a procissão vai contar com as Cruzes das 89 paróquias do concelho. Antes, haverá celebração da Missa Solene no Templo do Senhor Bom Jesus da Cruz, local onde estarão expostos, a partir do dia 30 de abril, os Tapetes de Pétalas de Florais Naturais, outro ex-líbris das Cruzes.
 
Organização da Festa envolve Município, EMEC, Real Irmandade e Paróquia
Com uma estimativa orçamental de aproximadamente 575 mil euros, a realização da Festa das Cruzes de 2024 volta a contar com a organização conjunta do Município, da EMEC – Empresa Municipal de Educação e Cultura, da Real Irmandade do Senhor Bom Jesus da Cruz, e da paróquia de Santa Maria Maior de Barcelos.
Presentes na conferência de imprensa de apresentação do evento, os representantes destas entidades tiveram a oportunidade de explicar o trabalho e as responsabilidades que competem a cada uma delas.
Segundo o Provedor da Real Irmandade, Pedro Ferreira, a Festa deste ano “reveste-se da maior importância, por se comemorar os 520 anos do surgimento do milagre das cruzes e, portanto, da origem desta grandiosa Festa”. O Provedor anunciou que este ano vai ser homenageado o Sr. Aires Marques, um sacristão que esteve com a Real Irmandade por mais de 50 anos, e que terá sido o pioneiro na criação dos tapetes de pétalas naturais.  “A melhor forma de o homenagearmos é inspirarmo-nos num tapete que ele terá feito nos anos 50”, disse Pedro Ferreira, que adiantou que os motes dos outros tapetes serão “O Caminho” e o “5.º Congresso Eucarístico.”
Por seu lado, o Padre Manuel da Rocha, da Paróquia de Santa Maria de Maior, anunciou que a procissão da Invenção da Santa Cruz, a realizar no dia no dia 3 de maio, já tem confirmada a presença do Arcebispo D. José Cordeiro, que também presidirá à missa solene que se realiza pelas 11 horas da manhã. Quanto à Procissão, o Padre Manuel da Rocha disse que “gostaria que a procissão tivesse impacto social, porque a Cruz tem uma força de apelo, força e esperança”, estando por isso a trabalhar numa ideia que possa conferir essa intenção.
No que respeita à componente mais operacional da Festa, o Presidente da EMEC, Jorge Cruz, começou por “agradecer a confiança reiterada no Conselho de Administração da Empresa para ser parceiro na organização das festividades”, salientando que “essa confiança vem do fruto do trabalho feito no ano passado”, assente na prossecução do contrato-programa estabelecido para o efeito. Este ano a EMEC é responsável pela organização da Batalha das Flores, da colocação dos Arcos de Romaria, dos lumes-vivos ao longo das margens do nosso rio e ainda pela organização do terrado da feira popular e dos serviços de vigilância e limpeza do certame.

Artigos Relacionados

Comentários Facebook

Comentar