Os dois autarcas manifestaram-se, desde o início do processo logo em 2018, a favor de uma descentralização efetiva de competências do poder central para as autarquias, desde que acompanhada da transferência de verbas correspondentes aos novos encargos e responsabilidades a assumir a nível local. A falta deste último ponto e o consequente receio de conduzir ambos os Municípios que representam ao desequilíbrio financeiro foi a razão principal que levou, tanto Rui Moreira quanto Aires Pereira, a decidir adiar, até ao prazo máximo permitido por lei, a transferência imposta pelo Governo nas diversas áreas.

Comentários Facebook

Comentar